Sinais de intranquilidade que demonstram que vai ficar endividado (agenda 08.12.2016)

08-12-2016

   Uma boa gestão do orçamento mensal é essencial para o bem-estar e tranquilidade de cada família. Toda ela irá ressentir-se se as suas finanças forem mal geridas. Contudo, deve-se estar atento a alguns sinais 'de endividamento' para evitar que se chegue uma situação grave ou menos salutar. De seguida note-se quais os sinais demonstrativos dessa 'má gestão', derivada em intranquilidade. (t-E)

Comprar de forma compulsiva
Vivemos numa sociedade consumista, e como tal, fazer compras tornou-se quase uma forma de estar na vida. Fazer compras de forma compulsiva é muitas vezes o primeiro passo rumo ao endividamento.

Falhar pagamentos
São poucas as pessoas que nunca falharam um pagamento. Por vezes por uma situação esporádica, outras apenas por esquecimento. No entanto, quando as falhas de pagamentos são frequentes, isso significa que tem dificuldade em pagar as suas contas com o dinheiro disponível. Este é um forte sinal de que está a ficar endividado.

Ter vários cartões de crédito
Para quem está numa situação financeira débil, o cartão de crédito é uma "faca de dois gumes". Ou seja, pode ser muito útil para uma situação excecional, onde necessite de fazer um pagamento urgente para o qual não tem dinheiro, ou então, ser perigoso, caso os utilize para manter um estilo de vida para o qual já não tem posses. E como a utilização de crédito implica o pagamento de taxas de juros altas, o seu uso frequente é um sinal de que estará a ficar endividado.

Viver acima das suas possibilidades
Quem vive acima das suas possibilidades está a caminho do endividamento. Se está a tentar manter um estilo de vida para o qual não tem dinheiro, estará a gastar as suas poupanças, ou então, a usar dinheiro de que não tem. Seja qual for o caso, é um caminho que apenas tem um destino: o endividamento.

Recorrer a empréstimos
Há empréstimos que se tornam quase obrigatórios. Comprar uma casa, um carro, ou uma situação de saúde urgente. E se a taxa de esforço for adequada, esses empréstimos são facilmente geridos. O problema é quando se começa a recorrer a empréstimos para outras situações. Tecnologia, mobiliário, viagens, roupas, etc. Quando isto acontece consecutivamente, é sinal de que poderá vir a ficar endividado.

Priorizar pagamentos
Um dos sinais mais fortes de que estará a ficar endividado é quando tem de priorizar os seus pagamentos mensais, devido ao facto dos rendimentos disponíveis não serem os suficientes para pagar as suas responsabilidades.

Recusa de um empréstimo
Os bancos centrais de cada país, como é o exemplo do Banco de Portugal, tem um histórico financeiro de cada pessoa. Quando este histórico é irregular, isso significa que essa pessoa tem gerido de forma inadequada as suas contas, podendo já ter situações de cheques "carecas", dívidas não pagas, ou empréstimos em situação de incumprimento, entre outras. Por isso, se vir recusado um pedido de empréstimo, isso significa que tem administrado mal o seu dinheiro, estando por isso a um pequeno passo do sobreendividamento, ou mesmo da bancarrota.